terça-feira, 8 de novembro de 2011

Dia 03 de novembro
Instituição do Direito de Voto da Mulher no Brasil
Imagem: Disponível em: <http://simaopedro.com.br/dilma-rousseff-presidente-eleita-do-brasil/>

O direito ao voto no Brasil é assegurado a todos os cidadãos maiores de 18 anos, porém nem sempre foi assim.
Ao longo da história só votavam homens ricos e brancos. Os pobres, negros, serviçais e mulheres, não tinham direito ao exercício da cidadania pelo voto.
O direito ao voto feminino começou pelo Rio Grande do Norte (1927), o primeiro estado do país a permitir que as mulheres votassem nas eleições. Naquele mesmo ano, Celina Guimarães, professora em Mossoró (RN), se tornou a primeira brasileira a fazer o alistamento eleitoral. A conquista regional desse direito, beneficiou a luta feminina da expansão do voto de saias para todo país.
Em 1930, foi aprovado no Senado Federal o projeto que estendia o direito de voto às mulheres, mas por causa da Revolução de 30, o sonho foi adiado em dois anos, porque as atividades parlamentares foram suspensas.
O movimento decisivo para a conquista do voto foi liderado por Berta Maria Júlia Lutz, paulista, filha do cientista AdolfoLutz e cuja militância resultou na aprovação do Novo Código Eleitoral Provisório (24/02/1932), no Governo Getúlio Vargas. Mesmo assim, a conquista não foi plena, o Código permitia apenas que mulheres casadas (com autorização do marido), viúvas e solteiras com renda própria pudessem votar. As restrições só foram eliminadas no Código Eleitoral de 1934.
Atualmente, o voto feminino transformou-se em fator decisivo no quadro político brasileiro que, segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral, 51% do eleitorado são mulheres e muito embora as mulheres sejam a maioria, somente na última eleição presidencial (2010) é que elejemos uma mulher para a Presidência da República do Brasil.
Muitas batalhas foram travadas pelo direito das mulheres e ainda temos uma longa e árdua caminhada neste sentido, mas se unirmos forças, aquela luta que começou discreta pelo direito do voto feminino, dá-nos hoje, a força necessária para alcançar o lugar merecido de cada mulher em cada canto do Brasil.
Que essa força seja alavanca propulsora de transformações que igualem não só o direito das mulheres mas, o direito de todo cidadão independente do gênero, raça ou classe social. Uma luta onde não haja lugar para o preconceito e a discriminação, brotando uma sociedade mais justa e com menos desigualdades em todos os segmentos.


Referências Bibliográfica
O Voto feminino. Disponível em: <http;//espacoeducar-liza.blogspot.com> Acesso em 01 nov. 2011.
HAHNER, June. A mulher brasileira e suas lutas sociais e políticas: 1850-1937. São Paulo: Brasiliense, 1981.



Um comentário:

  1. Nada como o tempo,né ! Não podíamos nem votar, hoje temos uma mulher na Presidência ! E por essas e outras,que acredito num mundo melhor !

    ResponderExcluir