segunda-feira, 27 de maio de 2013

"Novas tecnologias com velhas pedagogias não servem para nada."
Imagem: Disponível em:
 <http://www.grupoa.com.br/livros/fundamentos-da-educacao/
compreender-e-transformar-o-ensino/9788573073744>
Nosso título é uma afirmação do pedagogo e filósofo Angel Pérez Gómez, professor na Universidade de Málaga na Espanha, em entrevista para Revista Época em 22 de maio 2013.
Em suas pesquisa Pérez Gómez busca responder a pergunta de como adequar as instituições à inserção das TIC em sala de aula?
Ele defende, principalmente, a autonomia e o aprender a aprender e ainda a aplicação de um currículo que centralize os problemas, considerando as experiências e realidade dos alunos e escola.
Pérez Gómez faz observações bombásticas quanto ao fim da instituição ESCOLA, porém são reflexões e estudos que têm se evidenciados nas instituições dia-a-dia.
"A família tem um papel importantíssimo, assim como a escola, mas nem sempre ela está preparada para ajudar seus filhos a desenvolver sua inteligência emocional e comparar seus valores. Especialistas devem fazer isso na escola, orientando os pais no processo de construção de um menino mais sensato, crítico, equilibrado, solidário, etc. A maioria dos pais e das mães não sabe como orientar os filhos em determinados assuntos. Como vão orientar para emoções, valores e atitudes se a maioria dos intercâmbios entre os jovens ocorre agora pela internet, nas redes sociais? É mundo complexo e muito distante do mundo dos adultos. E eles reconhecem isso.O professor deve passar de ser um transmissor de informação para um facilitador da aprendizagem. Deve ser um tutor permanente para as crianças. Primeiro, deve ensinar com seu exemplo como buscar, selecionar e avaliar as informações. É uma missão mais difícil e complexa.

Esse pensamento é fantástico, porém exige uma ruptura de paradigmas tradicionais ultrapassados e uma mudança de posturas por parte de todos os sujeitos envolvidos na educação. Todos os sujeito, quero dizer: todos envolvidos no ambiente escolar: desde os serventes até a coordenação e ainda, alunos e seus familiares.
Para o êxito da aplicação dessas idéias, faz-se necessário que todos compreendam a proposta e estejam disposto a sair da "situação de conforto" atual para o trabalho árduo da mudança. 
Comparo esse pensamento com a proposta metodológicas da EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA (EaD), onde os resultados dependem de comprometimento e disciplina.
O pedagogo tem outras obras publicadas, que sem dúvida, são imperdíveis.

_________________________________________________________________________
*Bibliotecária (FURG). Especialista em Tecnologias da Informação e Comunicação aplicadas à Educação (TICEdu/UAB-FURG). Editora do Blog da Biblioteca Pública Municipal "Delfina da Cunha" - São José do Norte/RS e de outros dois blogs: GAN - Guarda animal Nortense; Sociedade Espírita "Jesus"

2 comentários:

  1. Olá Colega em breve estarei adicionando teu blog ao meu!

    ResponderExcluir
  2. Ok. Obrigada.
    O seu já está add.
    Um abração.

    ResponderExcluir